Um pedaço enorme de uma pequena merdinha. My Texts

Adieuberceuse
1 2
“As vezes algumas meninas são meninos.
E as vezes algumas Mulheres, são Moleques.
E eu, as vezes,
Sou tudo isso.”
- (adieuberceuse)

blvck-zoid:

Follow BLVCK-ZOID for fashion

repcode 'blvckzoid' at LMDN for a discount


1 week ago - 196 notes - reblog bb
dono do post : otheruk - rebloguei de: sextattoosdrugs
“Não houve um grande amor, houve um grande engano. Você assistia minha dupla personalidade e ficou observando eu me amar por anos. E andar de carro falando só pela cidade, me presentear com coisas de mulher, me masturbar, eu era um sonâmbulo e você teve medo de me acordar.”
- Transtorno Poético. (via oxigenio-dapalavra)


bysen:

No I’m never gonna speak again


1 week ago - 2,112 notes - reblog bb
dono do post : bysen - rebloguei de: umafestapromeucancer
“Sempre tive tendências suicidas. Meu pai dizia que desde bem pequena gostava de fazer coisas bem perigosas, apoiar a almofada do quarto na grade de cordas que protegia a janela e encostada ali ler um bom livro durante horas, andar em cima de muros como se andasse em solo firme cantarolando alguma linda canção, debruçar nas janelas deixando mais de meio corpo para fora achando graça e gargalhando alto, se esticar todinha para fora da janela do carro em alta velocidade na estrada de Brasília só pra sentir o vento entrando pelos olhos, boca e ouvidos, apostar que poderia ir e voltar três vezes mergulhando na piscina do sitio, tarefa praticamente impossível, mas que sempre executava com perfeição e ao final do grande feito saia se gabando como se tivesse ganhado o universo. Nunca tive medo de morrer, talvez seja porque sempre tive fascínio pela liberdade e infelizmente a própria condição humana nos coloca dentro de um corpo limitado, que por sua vez vive em uma sociedade mais limitada ainda, por não saber conviver com as diferenças. Sempre achei que a liberdade tinha a ver com o fato de entender e aceitar o outro. Vivemos olhando o mundo por uma fechadura, deveríamos olhar a vida de cima. Sempre quis me ver livre dessa condição humana idiota. Pra mim o pior castigo de todos sempre foi viver presa a este corpo sucumbido a tantas regras imbecis. Deveríamos nos rasgar para escapulir todos os sentimentos. O mundo se tornaria poesia e nela viveríamos livres e felizes, Há quem diga que isso não passa de um delírio, uma alucinação. Pois não o trocaria por nenhuma sanidade conveniente. A minha liberdade é o meu fio condutor, sem ela jamais me arriscaria, jamais seria tal criatura feliz e aparentemente suicida e a morte, com certeza meu caro, seria algo certo, estupido e bem casual.”
- Elisa Bartlett.  (via oxigenio-dapalavra)



1 week ago - 9,148 notes - reblog bb
dono do post : luisakehl - rebloguei de: versificando-me

1 week ago - 316 notes - reblog bb
dono do post : muromix - rebloguei de: versificando-me

1 week ago - 695 notes - reblog bb
dono do post : decisivo - rebloguei de: decisivo